Domingo, 25 de Janeiro de 2009

Sinto-me em crise

 

Agora que a crise bateu à porta dos grandes da comunicação social, tenho esperança que possa ter algum efeito pedagógico nas suas redacções. Refiro-me aos mensageiros da desgraça que se têm especializado em explorar a fundo tudo o que de pior tem a crise, impregnando a opinião pública de uma angústia profunda, que se manifesta num estado de espírito pior do que a própria crise, o "sinto-me em crise".

É deprimente como a crise tem dominado a mensagem da comunicação social e que seja sempre mais conveniente dizer não, do que dizer sim! 

É fatigante que não se perceba que precisamos de motivação e esperança: histórias positivas, finais felizes!

É frustrante que nunca se veja o lado bom das coisas, que um assalto seja sempre mais notícia do que a abertura de uma nova fábrica, que um assassino seja sempre mais protagonista do que um empreendedor.
Perdoem-me a generalização, e ainda bem que nem todos se revêem nestas palavras, mas acredito que todos saibam a quem se destinam.

tags:
publicado por uriel oliveira às 20:52
link do post | comentar | favorito
partilhar
3 comentários:
De Designer Ferro a 26 de Janeiro de 2009 às 09:46
Infelizmente os meios de comunicação social estão mais ou menos instrumentalizados por mais que os repórteres alardem a sua neutralidade.

Isto é visível nos comentários e na quantidade de vezes que "alegadamente" é dito ou feito algo por alguém para o qual não conseguiram apurar qualquer facto.

Na realidade, se virmos bem, os jornalistas estão transformados em novelistas de segunda categoria que parasitam na possibilidade da verdade. E podem citar-me nesta.
De José Pedro a 26 de Janeiro de 2009 às 10:57
Parece-me essencialmente uma mensagem fortemente vocacionada para o futuro.

Comportamento gera comportamento.

Falar positivo, acreditar nas capacidades individuais e contaminar quem nos rodeia com a motivação para crescer. Procurar soluções e não culpados...

... podíamos até fazer um autocolante com a ideia de contaminação positiva e começar a oferecê-lo aos imensos cromos que habitam o nosso mundo...

keep the good job! curti ler o post...
De António Valle a 26 de Janeiro de 2009 às 11:50
Em Espanha, (ou terá sido o New York Yimes ?) um dos jornais de referência "impôs" no seu livro de estilo que os jornalistas deveriam evitar escrever palavras que deprimissem, ainda mais, os leitores....
Palavras como "crise", "recessão"... deveriam ser evitadas...

Grande Abraço

Comentar post

.uriel oliveira


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.pesquisar

.posts recentes

. ainda o Euro 2012

. Contradição olímpica

. Madonna - Só se for em sa...

. Briosa: Uma marca com gra...

. O Pingo Doce está outra v...

. Um mundo melhor

. O campo na Avenida

. A crise portuguesa nos me...

. Afinal o golf continua a ...

. O poder da sugestão

. Champanhe Mumm com sabor ...

. Comunicar em roupa interi...

. Alerta de crise na Ensite...

. Os ratos da política

. O dia em que um sorriso p...

. O caçador _____ o urso

. O meu iPad

. Alegria

. A máquina dos U2

. Mais leitores por menos d...

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.tags

. todas as tags

.feeds