Terça-feira, 10 de Novembro de 2009

O segredo do mainstream

 

 

A facilidade de acesso ao espaço informativo é uma das principais conquistas do indivíduo alcançadas através da web 2.0, que atinge o seu ponto mais alto de projecção quando um conteúdo, partilhado por um indivíduo ou grupo de indivíduos, chega ao mainstream.

 

Para além do sensionalismo puro e duro, que continua a ser a poção mágica para entrar no mainstream, os restantes ingredientes para o conseguir são complicados de sistematizar e continuo a surpreender-me com a capacidade de agenda que determinados conteúdos, aparentemente amorfos, conseguem alcançar.
O vídeo partilhado no Youtube pelos funcionários do Departamento Técnico de Planeamento e Urbanismo da Câmara Municipal de Portimão, é um bom exemplo desta realidade.
Para além das mais de 80.000 visualizações no Youtube, este vídeo, uma recriação da música "We are the World", que lamenta de uma forma tosca e provinciana a situação do funcionário público, foi transmitido em prime time na RTP, SIC, e TVI e depois repetido até à exaustão, na RTPN, SIC Notícias e TV24. Um total de 27 minutos de televisão!
Imagino a frustração do presidente da Câmara Municipal de Portimão, que gastou milhares de euros a dinamizar vários eventos como forma de promover a cidade como destino turístico, que conseguiram bem menos tempo de antena.
Vejamos alguns exemplos:
Carnaval da Bahia, 23 minutos
Endurance Internacional de Jet Ski e motas de água, 22 minutos
Final da Liga Europeia de Voleibol, 20 minutos
Rock One, 17 minutos
Festival da Sardinha, 7 minutos
Portimão Air Festival , 3 minutos
Num país em que quase 1 milhão de pessoas não tem trabalho, parece-me de mau gosto que um grupo de funcionários públicos se lamente com o facto de ter que trabalhar, mas possivelmente este foi o segredo para abrir as portas do mainstream.
publicado por uriel oliveira às 12:33
link do post | comentar | favorito
partilhar
1 comentário:
De joquinha a 25 de Novembro de 2009 às 11:59
Acho muito mais deprimente, as telenovelas toscas, provincianas e sexualmente apelativas, mostrando jovems quase imberbes na sua puberdade no prime time. Ao menos funcionarios preocupados com a sua situação laboral e a dar voz através de um meio pouco ofensivo é bem mais interessante.

Comentar post

.uriel oliveira


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.pesquisar

.posts recentes

. ainda o Euro 2012

. Contradição olímpica

. Madonna - Só se for em sa...

. Briosa: Uma marca com gra...

. O Pingo Doce está outra v...

. Um mundo melhor

. O campo na Avenida

. A crise portuguesa nos me...

. Afinal o golf continua a ...

. O poder da sugestão

. Champanhe Mumm com sabor ...

. Comunicar em roupa interi...

. Alerta de crise na Ensite...

. Os ratos da política

. O dia em que um sorriso p...

. O caçador _____ o urso

. O meu iPad

. Alegria

. A máquina dos U2

. Mais leitores por menos d...

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.tags

. todas as tags

.feeds