Quinta-feira, 14 de Outubro de 2010

O meu iPad

Há bastante tempo que me sentia tentado a trocar o meu Blackberry por um iPhone, mas a facilidade de utilização do email do Blackberry sempre pesou mais alto e tem-me mantido fiel. Por isso, o iPad era a minha grande oportunidade de entrar no mundo dos gadjets da Apple, pelo que não perdi muito tempo até comprar um.

Hoje estou rendido ao meu iPad, bem como todos lá em casa. A sua portabilidade e atractividade fazem com que nunca esteja parado, está sempre alguém com ele, em algum lugar. Quando passamos, instintivamente pegamos-lhe e levamo-lo para fazer qualquer coisa.

Estou convicto que o iPad vai revolucionar o consumo de media. A experiência é espectacular. A interface é perfeita para ler. A leitura de um jornal ou de uma revista, ao contrário do que acontece com as edições web, volta a ser uma experiência personalizada, individual e próxima, com a particularidade de integrar conteúdos multimédia e de ser interactiva.

As iPad Apps para além de permitirem usufruir dos conteúdos através de um ambiente mais apelativo e totalmente adaptado à plataforma, são muito mais práticas e funcionais do que a utilização do web browser. Ao mesmo tempo, as Apps funcionam como mecanismos de fidelização de públicos que permitem aos produtores de conteúdos posicionarem e diferenciarem a sua oferta, o que me parece muito interessante e quem sabe uma tendência no futuro próximo.

A única coisa má que encontrei no iPad foi quando tentei colocar o meu cartão 3G e verifiquei que este equipamento utiliza um SIM mais pequeno do que o habitual. O 3G do iPad só funciona com micro SIM, o que me pareceu uma coisa até um pouco amaricada, afinal um equipamento bem maior do que um telemóvel só funciona com um SIM mais pequeno?! Enfim… Mais chateado fiquei quando liguei para a TMN a pedir um cartão gémeo do meu cartão 3G e me disseram que não é possível fazer, a única possibilidade seria comprar um cartão 3G próprio para o iPad. Insisti e disse que quero continuar a usar o 3G no PC e a sugestão que me deram foi a de ter duas assinaturas. Mais tarde, descobri na net que basta cortar o cartão SIM normal do mesmo tamanho que o cartão micro SIM, que funciona na perfeição, uma vez que o chip é exactamente o mesmo. Liguei mais uma vez para a TMN, mas fiquei na mesma, porque afinal não é possível fazer cartões gémeos de cartões de banda larga.

Conclusão, continuo sem 3G no iPad. Pode ser que quando chegar o iPad a Portugal, os operadores de telecomunicações ganhem juízo e apresentem uma solução minimamente satisfatória.

publicado por uriel oliveira às 20:20
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.uriel oliveira


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.pesquisar

.posts recentes

. O meu iPad

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.tags

. todas as tags

.feeds