Sexta-feira, 8 de Maio de 2009

Twittar o quê e para quem?

 
A grande maioria dos utilizadores do Twitter não sabe quais os conteúdos que deve comunicar neste canal. Afinal o que significa “O que estou a fazer? ”, tendo como audiência diferentes seguidores, que não têm necessariamente os mesmos interesses?
Como em qualquer meio de comunicação, os conteúdos a comunicar no Twitter devem adaptar-se aos diferentes públicos, quer se trate de uma presença individual, de uma empresa ou de uma organização.
Ao nível individual a coisa pode tornar-se complicada, vejam por exemplo, se formos advogados e praticantes de surf e os nossos seguidores foram surfistas e pessoas com interesses na área do direito, quando fazemos um tweet a dizer como está o mar hoje, é um conteúdo extremamente interessante para os nossos amigos surfistas e nada interessante para os nossos amigos advogados.
Eu confesso que ainda me estou a adaptar e tentar compreender qual a expectativa dos meus seguidores em relação aos meus twittes e por isso por agora, limito-me a comunicar os novos posts que vou tendo no meu blogue...
Ao nível das empresas e das organizações penso ser mais fácil comunicar de acordo com as expectativas do nosso público, mas mesmo assim, é necessário algum trabalho de conhecimento sobre este meio e fundamentalmente sobre as expectativas dos públicos no Twitter.
Vejamos, por exemplo o que se passa actualmente com os meios de comunicação social presentes no Twitter, a grande maioria limita-se a twittar as últimas notícias das suas edições, o que a mim como seguidor, me irrita e me incentiva a deixar imediatamente de os seguir. A minha expectativa como seguidor destes meios, não é saber as últimas notícias do dia! Se fosse essa a minha pretensão, seria muito mais fácil e lógico consultar os seus sites ou subscrever os seus feeds.  A minha expectativa em relação aos órgãos de comunicação social no Twitter é que elas possam partilhar conteúdos e referências que me permitissem conhece-los melhor e eventualmente poder interagir com eles.
Em resumo, o Twitter é de facto um canal de comunicação espectacular, mas o desconhecimento e a falta de estratégia em relação aos conteúdos a veicular neste canal, pode fazer com que grande parte dos seus utilizadores, acabem por desistir. Na verdade, não me surpreenderam os resultados de um estudo da Nielsen online que conclui que mais de 60% dos utilizadores da rede social Twitter deixam de utilizar o serviço um mês depois de abrirem uma conta.
tags:
publicado por uriel oliveira às 17:41
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.uriel oliveira


. ver perfil

. seguir perfil

. 9 seguidores

.pesquisar

.posts recentes

. ainda o Euro 2012

. Contradição olímpica

. Madonna - Só se for em sa...

. Briosa: Uma marca com gra...

. O Pingo Doce está outra v...

. Um mundo melhor

. O campo na Avenida

. A crise portuguesa nos me...

. Afinal o golf continua a ...

. O poder da sugestão

. Champanhe Mumm com sabor ...

. Comunicar em roupa interi...

. Alerta de crise na Ensite...

. Os ratos da política

. O dia em que um sorriso p...

. O caçador _____ o urso

. O meu iPad

. Alegria

. A máquina dos U2

. Mais leitores por menos d...

.arquivos

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

.tags

. todas as tags

.feeds